Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

sábado, 17 de junho de 2017

Cápsulas de Lecitina de Soja: quais os benefícios alcançados pelo seu consumo?



A lecitina de soja é obtida da soja, sendo rica em ácidos graxos essenciais, como: ômega 3 e ômega 6 e outros nutrientes extremamente importantes para o bom funcionamento do nosso organismo, como fósforo, potássio e vitamina E. Esta composição contribui para sua durabilidade, uma vez que a vitamina E funciona como um antioxidante, protegendo as gorduras da decomposição.

Os principais benefícios relatados com o consumo são: redução do colesterol, regulação hormonal, diminuição da perda de memória e até mesmo emagrecimento. 

Portanto, será que o consumo dessas cápsulas oferecem esses benefícios?

Introdução
A lecitina é uma fosfatidilcolina poli-insaturada que contém componentes básicos para as funções energéticas e estruturais de todas as membranas biológicas. São indispensáveis para os mecanismos de diferenciação, proliferação e regeneração celular. A Lecitina pode ser extraída dos grãos de soja, sendo uma mistura complexa de fosfolipídeos, triglicerídeos e outras substâncias derivadas dos processos de refinamento o óleo (SEIDMAN et al., 2002). 

Os principais benefícios para a saúde relacionados com o consumo de Lecitina de soja são devidos à presença de colina, uma gordura importante para: regular a produção hormonal, aliviar os sintomas da menopausa, combater a dor de cabeça - por ser rica em ômega-3 e ômega-6, combater o colesterol alto - por estimular o metabolismo das gorduras, manter a saúde do fígado e evitar o acúmulo de gordura, melhorar a memória e estimular o cérebro - por conter colina, aumentar o metabolismo - auxiliando na perda de peso.

Fundamentos Bromatológicos
Dentro de uma grande variedade deste produto no mercado, foi utilizado como exemplo o Soya Lecithin 1200 mg da empresa Sundown, devido a facilidade de acesso do produto e o preço estar dentro da média do mercado.

Conforme a indicação do fabricante a ingestão deve ser de 1 cápsula por 3 ou 4 vezes ao dia nos horários das refeições, prometendo assim com essa ingestão uma melhor digestão das gorduras, devido ao seu poder de emulsificante, favorecendo então o controle dos níveis de colesterol, além disso fortalece órgãos como fígado, rins e pâncreas e promove a renovação celular da pele. Também auxilia no bom funcionamento e na proteção cerebral, devido à presença de colina, um nutriente que compõe o neurotransmissor acetilcolina. 

Como pode ser observado na Tabela de informação nutricional, o produto oferece um baixo teor calórico, tendo ausência de carboidratos e proteínas. 

Composição Soya Lecithin 1200mg (Lecitina de Soja) Sundown

 Legislação
Segundo a legislação brasileira a lecitina da soja se enquadra na classificação na categoria Nº 4300090, das Substâncias Bioativas e Probióticos Isolados com Alegação de Propriedades Funcional e/ou de Saúde, devendo cumprir na Íntegra com o estabelecido na Resolução RDC nº 02, de 7 de janeiro de 2002 (DOU 9/1/2002). Como complemento nutricional tem a finalidade de complementar a dieta cotidiana de uma pessoa saudável, que deseja compensar um possível déficit de nutrientes, a fim de alcançar os valores da Dose Diária Recomendada (DDR), em que o complemento nutricional não substitui o alimento. E ainda deverá ter a qualidade alimentar, sem aditivos e acondicionado em cápsulas compostas de gelatina e de glicerina. Poderá ser utilizado como ingrediente com finalidade de coadjuvante de tecnologia e fabricação, quando utilizada cápsula gelatinosa dura.

Quanto ao rótulo é proibida toda e qualquer expressão de natureza medicamentosa. Deve ser designado, portanto, que se trata de um complemento nutricional, especificando os nutrientes básicos ou de acordo com o Padrão de Identidade e Qualidade (PIQ) específico para o produto. Dever conter informações e advertências sobre os riscos do consumo excessivo, e que é preferível o consumo sob orientação profissional, deve-se sugerir a porção diária recomendada, já que esta não está definida cientificamente. Instruções de conservação, armazenamento e transporte. Os rótulos dos Complementos Nutricionais deverão ainda conter as seguintes declarações: "Este produto consumido acima da dose recomendada traz riscos á saúde" / "Este produto não deve ser consumido por gestantes, lactentes e crianças de 0(zero) a 3(três)anos". 

A partir da análise do rótulo do produto Soya Lecithin da Sundown as informações disponíveis no mesmo estão de acordo com o preconizado na legislação citada. Algumas informações não são fornecidas de forma tão clara, tanto no rótulo quanto no site de vendas. Mas em geral, o rótulo se encontra de acordo com as especificações determinadas pela ANVISA.

Referências Bibliográficas
Seidman MD, Khan MJ, Tang WX, Quirk WS. Influence of lecithin on mitochondrial DNA and age-related hearing loss. Otolaryngol Head Neck Surg. 2002 Sep;127(3):138-44.

Portaria nº 19, de 15 de março de 1995, DOU DE 16/03/95. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/legis/portarias/19_95.htm. Acesso 07 de Junho de 2017. 

Li XZ, Park BK, Hong BC, Ahn JS, Shin JS. Effect of soy lecithin on total cholesterol content, fatty acid composition and carcass characteristics in the Longissimus dorsi of Hanwoo steers (Korean native cattle). Anim Sci J. 2017 Jun;88(6):847-853. doi: 10.1111/asj.12660. Epub 2016 Oct 18.

Comissões Tecnocientíficas de Assessoramento em Alimentos Funcionais e Novos Alimentos. Atualizado em 20 de julho de 2004. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/alimentos/comissoes/tecno_bk.htm . Acesso 07 de Junho de 2017. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário