Apresentação

Espaço para a apresentação e análise de estudos e pesquisas de alunos da UFRJ, resultantes da adoção do Método de Educação Tutorial, com o objetivo de difundir informações e orientações sobre Química, Toxicologia e Tecnologia de Alimentos.

O Blog também é parte das atividades do LabConsS - Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde, criado e operado pelo Grupo PET-SESu/Farmácia & Saúde Pública da UFRJ.Nesse contexto, quando se fala em Química e Tecnologia de Alimentos, se privilegia um olhar "Farmacêutico", um olhar "Sanitário", um olhar socialmente orientado e oriundo do universo do "Consumerismo e Saúde", em vez de apenas um reducionista Olhar Tecnológico.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Sementes de Canhâmo: o alimento completo?


As sementes de canhâmo chegaram ao mercado brasileiro como uma forte promessa de suplemento alimentar, sendo altamente defendida por nutricionistas. Além das altas quantidades de nutrientes básicos, vitaminas e minerais as “Hemp Seeds” possuem alto teor de oleos essenciais como omega 3 e 6, que possuem diversas propriedades medicinais. Seria então a semente de canhâmo o alimento completo que além de nutrir integralmente poderia possuir propriedades medicinais seguras para o consumo?

segunda-feira, 3 de julho de 2017

OLEAGINOSAS: Sementes oleaginosas podem ser indicadas contra a prevenção de doenças cardiovasculares?


Sementes ricas de óleo, envolvidas por uma casca rígida e conhecidas por ser um grupo de alimentos muito saudável. Ricas em proteínas, gorduras insaturadas, vitaminas e minerais, as oleaginosas não podem ficar de fora da dieta. 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Vanádio é um bom suplemento mineral para atletas?

O vanádio é encontrado em uma série de alimentos, incluindo salsa, cogumelos, frutos do mar e alguns grãos. A sua absorção é extremamente ineficiente, pois apenas cerca de 1% do vanádio que uma pessoa come é absorvido pelo organismo. Os seres humanos precisam de pequenas quantidades, porém ainda não se chegou a um consenso, e sabe-se que a dieta média fornece 6 –18 mcg diárias.

A partir de 1980 o vanádio começou a chamar atenção quando estudos mostraram uma capacidade de melhorar a resistência à insulina de ratos quando suplementados com o seu sulfato. Já em 1985, estudos demonstraram que o vanádio no músculo esquelético altera o metabolismo de glicose de modo semelhante ao da insulina, aumentando a expressão de GLUT4, e também a taxa metabólica basal e consequentemente favorecendo a queima de calorias. No entanto, atualmente a evidência de que sulfato de vanádio e outros suplementos com vanádio são úteis no tratamento da diabetes humana, é limitada e controversa, pois a maioria dos estudos foram realizados em animais e alguns desenvolveram anemia, baixas contagens de glóbulos brancos, colesterol alto, dano renal grave e doenças cardíacas, tornando assim a janela terapêutica muito estreita.

O problema é que o vanádio tem sido comercializado como um suplemento esportivo para fisiculturistas e outros que desejam diminuir o apetite e peso corporal, mas não há evidência de que ele aumenta o desempenho e também não parece ter um efeito sobre a glicemia de quem não é diabético ou apresenta resistência à insulina, e por isso não é recomendado devido aos resultados ditos anteriormente.

Caso ainda se queira fazer o uso, deve-se dosar rigorosamente a sua concentração, pois 30 mM de sulfato de vanádio na corrente sanguínea de um adulto médio, é tóxico.

Encontra-se facilmente na internet tabletes contendo 2mg de sulfato de vanádio e também em farmácias de manipulação.


Referências:

DOMINGO, José L.; GÓMEZ, Mercedes. Vanadium compounds for the treatment of human diabetes mellitus: A scientific curiosity? A review of thirty years of research. Elsevier, [S.L], v. 95, p. 137-141, set. 2016.

J, K. et al. Insulin-mimetic property of vanadium compounds. Postepy Biochemii, Szczecin, v. 62, p. 60-65, fev./mar. 2016.

UNIVERSITY OF MARYLAND MEDICAL CENTER. Vanadium. Disponível em: <http://www.umm.edu/health/medical/altmed/supplement/vanadium>. Acesso em: 11 mai. 2017. 

Açaí: existe alguma relação entre este alimento energético e a diabétes?


O açaí é uma fruta que trás diversos benefícios a saúde, além de ser um alimento versátil, ou seja, que pode ser utilizado em conjunto com outros alimentos e até mesmo puro. No Brasil, Amazonas e Pará são os maiores produtores destas frutas e é um produto consumido em grande quantidade pela população brasileira. Porém, esta mesma população julga o mesmo como um "bomba calórica", isto é verdade? Será que este fator pode estar relacionado com a diabétes?

domingo, 18 de junho de 2017

Pró-Biótico e seu uso crescente sem prescrição médica, quais os riscos e benefícios?



     Nos dias atuais é comum ver pessoas substituindo a alimentação natural (hotaliças, cereais, proteínas ...) por produtos industrializados que vem com a promessa de suprimir as necessidades básicas de cada perfil de ser humano (way, pró-bioticos, hipertônicos, vitaminas e pré-bioticos).

       Nos últimos anos o uso de pró-bioticos vem aumentando, no lugar de uma alimentação rica em hortaliças e fibras em geral. Esse aumento é devido à facilidade do uso desses nutracêuticos frente às problemáticas do uso da culinária tradicional (aceitação por cor, cheiro e sabor) e sua aparente baixa eficácia frente aos problemas intestinais. O que nos leva a perceber que estamos com uma geração dependente de laxante em geral. 

Introdução

      Nos dias atuais é comum ver pessoas substituindo a alimentação natural (hotaliças, cereais, proteínas ...) por produtos industrializados que vem com a promessa de suprimir as necessidades básicas de cada perfil de ser humano (way, pró-bioticos, hipertônicos, vitaminas e pré-bioticos).
      Nos últimos anos o uso de pró-bioticos vem aumentando, no lugar de uma alimentação rica em hortaliças e fibras em geral. Esse aumento é devido à facilidade do uso desses nutracêuticos frente às problemáticas do uso da culinária tradicional (aceitação por cor, cheiro e sabor) e sua aparente baixa eficácia frente aos problemas intestinais. O que nos leva a perceber que estamos com uma geração dependente de laxante em geral.      O que nos leva a pensar se: O uso de pró- bióticos substitui a alimentação com hortaliças, fibras e cereais? O uso de pró-bióticos realmente ajuda na regulagem do sistema digestório? E quais as variantes dessa pesquisa "O elemento variante dessa pesquisa é o próprio individuo onde cada indivíduo terá sua microbiota própria e sua própria variedade em concentração."

Fundamentos Bromatológicos e Discussão

Nutracêuticos:

      Esse termo vem da junção de “NUTRIENTES” com “FARMACÊUTICOS” classificando assim os suplementos alimentares que contem uma maior concentração de algum composto bioativo de alimento que vem melhorar o organismo.
      Esses nutrientes são compostos encontrados nos alimentos em gerais que são essenciais ao corpo humano como vitaminas, minerais, enzimas e gorduras. Sendo fundamentais para a prevenção e tratamento de doenças.

Saúde Intestinal:

      A microbiota intestinal é formada por micro-organismos que habitam nosso intestino. Essas bactérias participam ativamente do nosso metabolismo regulando varias funções do organismo, como movimento peristáltico, digestão, proteção contra patógenos, produção de vitamina, estimulação do sistema imunológico e absorção de nutrientes.
      A flora intestinal é composta por bactérias que são potencialmente nocivas e benéficas ao nosso organismo quando estão em equilíbrio. Contudo, com o advento da vida moderna (sedentarismo, alimentação desbalanceada, tabagismos, alcoolismo, automedicação e prescrições errôneas) a desordem do ambiente intestinal ficou mais frequente gerando constipação e diarreias, a disbiose.
      A disbiose é associada a diversas doenças e desordens metabólicas entre elas estão intolerância alimentar, diabete, obesidade, transito alimentar, intoxicação metabólica, câncer coloretal, infecção, doenças cardiovascular e odontológica. E para se evitar a disbiose é necessário manter hábitos de vida saudável (exercícios físicos, alimentação balanceada e beber água).

Legislação

O que são pró-bióticos?:

     Os pró-bioticos são nutracêuticos compostos por micro-organismos vivos, que quando administrados corretamente, agem de forma benéfica equilibrando a flora intestinal, quando associada a um pré-biotico ou uma alimentação saudável. Segundo a ANVISA produtos lácteos e aqueles que contem os seguintes micro-organismos: Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei shirota, Lactobacillus casei var rhamnosus, Lactobacillus casei var.defensis, Lastobacillus paracasei, Lactococcus lactis, Bifidobacterium bifidum, Bifidobacterium animallis (inclusive a subespécie B. Lactis), Bifidobacterium longum e a Enterococcus faeciu.

Conclusão

     Visto que o pró-biotico é composto principalmente por bactérias da nossa flora intestinal e que sua manutenção é feita através de pré-bióticos e/ou alimentação saudável. Podemos concluir que a substituição da alimentação rica em fibras e cereias pelo pró-bioticos não tem sua eficácia garantida. Porém eles possuem um papel fundamental para a regulação do sistema digestório, promovendo a entrega das cepas adequadas para o equilíbrio da flora intestinal como um todo.

Referências

1. Ciorba MA. A gastroenterologits guide to probiotics. Clinical Gastroenterology and hepatology 2012;1 0: 960-968

2. Patel R et al.New Approacher for Bacteriotherapy: Prebiotics, New – Generation Probiotics, and Synbiotics. Clinical Infectious Diseases. 2015;60 (S2):s108-121.

3. Moraes F. P e Colla L. M. Alimentos funcionais e nutracêuticos:definições, legislação e benefícios à saúde. Revista Eletrônica de Farmácia 2006;3(2):99-112.

4. Cozzolino S Nutracêuticos: Oque significa? ABESO:2012;55(5)

5. Associação Nacional de Atenção aos Diabéticos. As diferenças entre alimentos funcionais e nutracêuticos.2015.

6. Guarner F et al. Probióticos e prebióticos. Diretrizes Mundiais da Organização Mundial da Gastroenterologia 2011:2-22.

7. Saad SMI. Probioticos e prebioticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciência Farmacêutica. 2006;42(1)

8. Fortes RC et al. Efeitos da suplementação dietética com frutooligossacarideos e inulina no organismos humano: estudo baseado em evidencias. Com. Ciência Saúde. 2009;20(3):241-252.

9. Hauly MCO et al. Insulina e Oligofrutoses: uma revisão sobre propriedades funcionais, efeito prebioticos e importância na industria de alimento. Semina: Ciência Exatas e Tecnologica.2002;23(1):105-108.

Panax Ginseng: É um medicamento com efeito neuroprotetor? Está presente no Guaraviton?

             


          X  
   



 O Panax Ginseng é um medicamento fitoterápico adaptógeno rico em ginsenosídeos. Uma das suas propriedades farmacológicas mais atraentes deve-se a ativação de mecanismos neuprotetores e modulação das funções cognitivas. A bebida energética Guaraviton possui duas formulações. Na primeira delas, é possível notar como destaque em seu rótulo a palavra Ginseng, mas em sua tabela de ingredientes existe apenas a adição de aroma de Panax Ginseng. Na segunda formulação há adição do extrato de Ginseng Brasileiro, onde não há especificação de qual espécie pertence o extrato utilizado na formulação. É possível obter os efeitos farmacológicos do Panax Ginseng ingerindo Guaraviton?   

Introdução:

    O Panax Ginseng é uma raiz nativa do norte da china e da coreia usada há séculos na medicina tradicional chinesa. Essa raiz pode ser classificada pelos seus diferentes métodos de processamento e concentrações de compostos bioativos chamados ginsenosídeos (saponinas triterpênicas). O Ginseng é conhecido mundialmente pelas suas propriedades adaptógenas. Ou seja, possuem propriedades que melhoram a nossa saúde e a capacidade de adaptação a situações extremas de stress, seja emocional, físico ou químico. Pesquisas científicas confirmam algumas de suas funções como vasodilatador, neuroprotetor, imunomodulador, antiinflamatório, antioxidante, antienvelhecimento, anticancerígeno, antidiabético e antidepressivos.

Fundamentos Bromatológicos e Discussão:
 
   Uma das propriedades mais atraentes do Ginseng deve-se a ativação de mecanismos neuroprotetores e modulação das funções cognitivas. Como por exemplo, o Ginsenosídeo Rb1 que demostra aumentar a sobrevivência celular neuronal, proteger o hipocampo do dano isquêmico, aumentar a fluidez da membrana de células corticais, aumentar absorção de colina nas terminações colinérgicas cerebrais, modular a liberação e absorção de acetilcolina, que diz respeito ao processo de aprendizagem e memória. O ginsenosídeo Rg3 promove a ação fagocitária da microglia na remoção da proteína fibrilar α-amilóide que se acumula nos neurónios até provocar a morte celular, uma característica da doença de Alzheimer.
    Ao nível celular, sabe-se que determinados ginsenosídeos (Rb1, Re e Rg) ativam os canais de Ca2+ do endotélio promovendo a hiperpolarização celular e, consequentemente, a libertação de óxido nítrico (NO).  Este, por sua vez induz o relaxamento do músculo liso da parede do vaso, provocando a vasodilatação, diminuindo assim a pressão arterial.
   Além dos ginsenosídeos citados acima, já foram identificados mais de 100 diferentes tipos com propriedades farmacologias demonstradas através de estudos utilizando animais, humanos e cultura de células. Entretanto essas substâncias bioativas quando administradas por via oral não são bem absorvidas no intestino, logo necessitam estar incorporadas a uma formulação a base de lipídeos, ou ser coadministradas com outras substâncias que aumentem sua absorção. Logo, para obter os benefícios dessa espécie é necessária sua incorporação em uma forma farmacêutica desenvolvida para promover a absorção.
   Os estudos toxicológicos do Panax Ginseng definiram a dose diária de 5 a 30 mg de ginsenosídeos totais, esse medicamento deve ser tomado no máximo por 3 meses.  

 E o Ginseng adicionado ao Guaraviton, possui as mesmas funções do medicamento Panax Ginseng?

   Como é possível notar nas imagens das embalagens abaixo, a bebida Guaraviton é comercializada de duas formas distintas. O primeiro rótulo apresenta o Ginseng coreano (Panax Ginseng) apenas como aroma adicionado, que não confere a bebida as características farmacológicas dos ginsenosídeos, pois não há presença deles na substancia utilizada como aromatizante. Mesmo se fosse adicionado um extrato rico em ginsenosídeos não seria possível garantir a absorção dessas substâncias somente incorporando-as na formulação da bebida energética devido as suas propriedades farmacocinéticas citadas anteriormente.

      Rótulo 1: Guaraviton com aroma de Ginseng

    Na segunda composição apresentada, há presença de extrato de Ginseng Brasileiro que compreende as espécies do gênero Pfaffia que possuem mais de 27 espécies distribuídas no Brasil. Como o segundo rótulo não especifica qual ou quais espécies do gênero são utilizadas na formulação do extrato, é difícil realizar uma avaliação bromatológica desse produto. Considerando que as características farmacológicas das espécies desse gênero e suas propriedades farmacocinéticas e toxicológicas ainda não estão bem definidas, não é seguro utilizar esse extrato adicionado a uma bebida de amplo consumo.


                                                                     Rótulo 2: Guaraviton com extrato de Pfaffia

   Portanto, o produto da forma que é apresentado causa confusão no consumidor, que o ingere fazendo uma assimilação errada entre o Ginseng Coreano (Panax Ginseng) medicamento com funções adaptógenas e neuroprotetoras e a bebida que possui apenas o aroma de Ginseg Coreano, Ou a adição de outro tipo de ginseng (gênero Pfaffia), que simplesmente não é semelhante ao Panax Ginseng, logo não possui suas propriedades.   

Legislação:
  
  Segundo a RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 O Guaraviton é definido como Composto Líquido Pronto para o Consumo, e quando é adicionado aroma (s) nesse tipo de produto deve-se acrescentar a palavra “Sabor” ou “sabor Artificial” seguido do nome do aromatizante usado.
    No regulamento técnico para medicamentos fitoterápicos a palavra Ginseng está especificada como nome popular do Panax Ginseng. 
   

Conclusão:

  A nomenclatura Ginseng é definida como nome popular do medicamento fitoterápico Panax Ginseng, que possui muitas características farmacológicas das quais se destaca sua propriedade neuroprotetora. Logo, a apresentação do nome Ginseng no rótulo da bebida Guaraviton gera uma assimilação errada entre a bebida e as propriedades do medicamento. Portanto, devem ser feitas as modificações na embalagem do Guaraviton indicando que possui “sabor de Ginseng” como definido na RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. 


Bibliografia:

Felipe Berger e Fernanda Maia, Ginseng: Informação nutricional ou alegação em saúde? Disponível em: <http://bromatopesquisas-ufrj.blogspot.com.br/2013/08/ginseng-informacao-nutricional-ou_11.html>. Acesso em:10 de junho de 2017.
Patrícia Pimenta, Guaraviton: será que realmente dá energia? Disponível em: < http://bromatopesquisas-ufrj.blogspot.com.br/2010/11/alimentos-funcionais-guaraviton-sera.html>. Acesso em:10 de junho de 2017. 

Ginseng. Disponível em:< http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/GINSENG.pdf>. Acesso em:15 de junho de 2017.


RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. Disponível em:< http://www.saude.rj.gov.br/comum/code/MostrarArquivo.php?C=MjIzOA%2C%2C>. Acesso em: 10 de junho 2017.


RATES, S.M.K; GOSMANN, G. Gênero Pfaffia: Aspectos químicos, farmacológicos e implicações para seu emprego terapêutico. Revista Brasileira de Farmacognosia, Vol. 12, N. 2, P. 85-93, Jul-Dez 2002.



ROKOT, N.T; KAIRUPAN, T.S; CHENG, K.C; et al. A Role of Ginseng and Its Constituents in the Treatment of Central Nervous System Disorders. Hindawi Publishing Corporation Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, http://dx.doi.org/10.1155/2016/2614742, Vol. 2016, N. 2614742, P.1-7, 26 julho 2016. 

Picolé Eléctron: O picolé energético

Propagando retirada do site: www.sorveteitalia.com

  Junto com o aumento dos cuidados com o corpo, pela população, vem aumentando também o mercado de produtos com o proposito de auxiliar nessa empreitada que é manter um corpo saudável com o auxilio de exercícios físicos. O Picolé Eléctron, o mais novo lançamento da Sorvete Itália, chega ao mercado com a proposta de ser um produto que pode ser utilizado tanto como pré ou pós treino.

Pelo de roedor no extrato de tomate: Os limites estabelecidos pela Anvisa são seguros a saúde?




    No início de 2017 uma notícia tornou-se polêmica para a população:

"Anvisa proíbe venda de lote de extrato de tomate com pelo de roedor".

     Como se já não fosse o bastante, a afirmação que relatava o limite de pelo de roedor acima do permitido foi muito questionada. Afinal, como é possível que a legislação permita que um alimento tão presente na cozinha da população brasileira possua vestígios de animais que possam acarretar malefícios a saúde e, ainda, transmitir doenças? 

KefirReal® com Magnésio: Suplemento vitamínico e mineral ou medicamento probiótico à base de magnésio?

O produto KefirReal® com Magnésio é descrito, no site da distribuidora Biológicus, como um suplemento vitamínico e mineral com ampla variedade de benefícios à saúde. Ele contém bisglicinato de magnésio e kefir liofilizado em cápsulas gelatinosas. A ingestão recomendada é de duas cápsulas ao dia, correspondendo a 48% da ingestão diária de magnésio recomendada.
 No site da Biológicus, é apresentado como um produto que: melhora o sono, proporcionando uma sensação geral de bem estar; Atua na formação de colágeno para manter a pele saudável; Auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares; Diminui a tensão nervosa, estresse, tensão pré-menstrual, depressão e menopausa; Previne lesões gástricas; Atua nos sistemas ósseo, glandular, urinário, nervoso, neuromuscular e cardiovascular; Participa nos processos enzimáticos e manutenção do equilíbrio osmótico; Participa no armazenamento e liberação de energia da célula.
Considerando os benefícios alegados pela marca inerentes ao uso do produto e a sua composição: seria o KefirReal® com Magnésio verdadeiramente um suplemento vitamínico e mineral?
Imagem 1. Ilustração da marca usada na divulgação do produto.


Reposição de colágeno por balas de gelatina FINI: é possível?

As Balas de Gelatina Fini Natural Sweets Vitamina Colágeno são fabricadas à base de gelatina e contém adição de colágeno, elas possuem o objetivo de auxiliar na reposição do colágeno e na dieta de baixa ingestão de açúcar. Em suas propagandas, ela ainda é enaltecida por possui corante e aroma natural, e não conter glúten ou açúcares. Mas será que essas balas realmente são eficientes na reposição de colágeno?  

Glúten e diabetes: A restrição do glúten pode aumentar o risco de diabetes tipo 2?


      Glúten free é a mais nova dieta da “moda” que está fazendo sucesso por quem busca um corpo perfeito. Mas, estudos recentes, mostram que tal escolha pode trazer malefícios à longo prazo. 


Ausência do leite materno: Por que o formulas infantis são mais recomendadas para recém nascidos ao invés do leite de vaca integral?

Sabemos que aleitamento materno é muito importante para a saúde do bebê. O leite materno é um alimento completo e ideal para o bebê, pois ele contém todos os nutrientes em quantidades adequadas, proporciona ótimo crescimento, é de fácil digestão, fornece água para hidratação, protege contra infecções e alergias, por que em sua composição também estão presentes anticorpos que irão ajudar na defesa do recém-nascido. Porém quando há a impossibilidade de amamentação com leite humano, neste artigo discutiremos qual melhor leite deve ser indicado para o bebê recém nascido (formulas infantis ou leite de vaca integral (LVI).

Açúcar de coco: Será uma boa alternativa para o açúcar refinado?


Muito se tem falado sobre o açúcar de coco, que tem sido amplamente utilizado para a substituição do açúcar refinado por ter a mesma capacidade de adoçamento. Mas será que ele é realmente uma boa alternativa? 


O uso do óleo de coco com finalidade de emagrecimento pode trazer riscos a saúde?


O óleo de coco é uma mistura de 6 a 20 carbonos de cadeia saturada, principalmente ácidos graxos, como o ácido láurico e o ácido mirístico. É muito utilizado pela indústria alimentícia e comumente utilizado como base para cremes e pomadas, em algumas formas farmacêuticas sólidas e como plastificante. No entanto o óleo de coco tem sido recomendado para outras finalidades como hidratação capilar, redução do LDL, o “colesterol ruim” e até controle dos níveis de açúcar no sangue.

Coca cola Stevia x Coca Cola Zero : Qual a necessidade da criação da uma nova versão de coca cola com stevia, uma vez que existe coca cola zero caloria?


 

 


Introdução
 

A stevia da nova versão de Coca-Cola é um ingrediente sem calorias originário de uma planta nativa da América do Sul, ou seja, de fonte natural. É 200 vezes mais doce do que o açúcar, assim uma pequena quantidade é suficiente garantir o sabor doce.

São 5g de açúcar e 13mg de stevia a cada 100ml da bebida. Portanto, uma lata de 350ml contém 18g de açúcares e 45mg de stevia. É uma bebida que contém apenas 50% das calorias com relação a coca cola original, criada com objetivo de atender um público maior, que não gosta e não pode consumir edulcorantes sintéticos, como o aspartame, presente na formulação da coca cola zero.


Fundamentos Bromatológicos e Legislação

Os edulcorantes somente devem ser utilizados nos alimentos em que se faz necessária a substituição parcial ou total do açúcar, a fim de atender o Regulamento Técnico que dispõe sobre as categorias de alimentos e bebidas a seguir:

para controle de peso;

para dietas com ingestão controlada de açúcares;

para dietas com restrição de açucares;

com informação nutricional complementar, referente aos atributos "não contém açúcares", "sem adição de açúcares",

"baixo em açúcares" ou "reduzido em açúcares" ou, ainda, referente aos atributos "baixo em valor energético" ou "reduzido em valor energético", quando é feita a substituição parcial ou total do açúcar.

Segundo a RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº.18, DE 24 DE MARÇO DE 2008, da Anvisa, Alimentos e bebidas para dietas com ingestão controlada de açúcares, o limite máximo de:

. Glicosídeos de esteviol é de 0,06 g/ 100g ou 100 mL. ( edulcorante natural presente na formulação da coca stévia)

. Acesulfame de potássio é 0,035 g/ 100g ou 100 mL, Aspartame é 0,075 g/ 100g ou 100 mL, Ciclmato de sódio é 0,04 g/100g ou 100 mL. ( edulcorantes artificiais presentes na formulação da coca cola zero)
 

Formulação da Coca com Stévia


Formulação da Coca Zero Caloria
 
 






Discurssão

Com base os dados do rótulo dos refrigerantes da coca cola – com stevia e zero caloria, constata-se que os edulcorantes estão dentro do limite permitido por lei.


Sobre os aspectos toxicológicos, destacamos o edulcorante Aspartame. Após ingestão, o aspartame decompõe-se no intestino em metanol, aspartato e fenilalanina. Uma das preocupações quanto aos seus possíveis efeitos adversos deve-se ao metanol, que por metabolização origina formaldeído e ácido fórmico, responsáveis pela acidose e toxicidade ocular. No entanto a estimativa relativamente à toxicidade do metanol é que seriam necessários entre 200 a 500 mg/kg de metanol para haver toxicidade significativa e como apenas aproximadamente 10% do aspartame ingerido se transforma em metanol, seria necessário ingerir, no mínimo, 2 000 mg/Kg de aspartame para provocar intoxicação. A fenilalanina não pode ser ingerida por quem possui fenilcetonúria, que é um problema congênito , no qual não ocorre a conversão de fenilanina em tirosina, pela deficiência da enzima fenilalanina hidroxilase. Níveis elevados de fenilalanina são tóxicos ao sistema nervoso central e podem causar dano cerebral.

A avaliação científica, publicada na Food and Chemical Toxicology (online outubro de 2012), descobriu que o banco de dados de estudos atual estabelece adequadamente a segurança dos
glicosídeos de esteviol, e não indica que os glicosídeos de esteviol sejam mutagênicos ou carcinogênicos.


Conclusão

A criação da coca cola stevia foi criado com o objetivo de atingir um público em geral que necessita reduzir a quantidade de açúcar diária e não para aqueles que fazem dieta com restrição, como indivíduos diabéticos. A associação de um edulcorante com sacarose possui papel benéfico na redução diária de açúcar, além de não permitir o sabor residual característicos dos edulcorantes. Vale ressaltar, que pelo fato do edulcorante da coca cola com stevia ser de fonte natural, possui maior aceitação pelo público, já que os edulcorantes sintéticos possui toxicidade relatada, como o aspartame.


Referências Bibliográficas

http://www.cocacolabrasil.com.br/historias/cinco-fatos-que-voce-deve-saber-sobre-a-coca-cola-com-stevia-e-50-menos-acucares

http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/391619/Microsoft+Word+Resolu%C3%A7%C3%A3o+RDC+n%C2%BA+18%2C+de+24+de+mar%C3%A7o+de+2008.pdf/4b266cfd-28bc-4d60-a323-328337bfa70e

https://aspartameffup.wordpress.com/comunicacao-de-risco/toxicidade/

http://globalsteviainstitute.com/boletim-de-novembro-2012-2/
 

 
 
 

Chá emagrecedor realmente é uma opção saudavel de emagrecimento?

Chá emagrecedor realmente é uma opção saudavel de emagrecimento ?



 O consumo indiscriminado de produtos para emagrecimento pode colocar a saúde das pessoas em risco, misturas de chás podem ser combinações perigosas e prejudicar o funcionamento regular do organismo.  Leia mais >

Sal alimentício: Há interferências nutricionais à saúde no consumo do Sal de cozinha ou Sal rosa do Himalaia?



O sal rosa do Himalaia ganhou imensa popularidade nos últimos anos, o seu grande diferencial em relação ao sal de cozinha (sal refinado ou sal comum) seria justamente o fato de ele não ser refinado. As alegações são de que, por esse motivo, o sal rosa do Himalaia é, nutricionalmente falando, um ingrediente muito mais “rico” que o sal refinado. Será mesmo que seu consumo é melhor para saúde do indivíduo? 

sábado, 17 de junho de 2017

Bebidas Energéticas: O consumo excessivo poderia levar a óbito?



                                              Figura 1: Monster Energy drink 

Os energéticos são bebidas não alcoólicas que tem como finalidades o fornecimento de energia e o estímulo do organismo. Por esse motivo têm sido cada vez mais utilizadas principalmente por jovens. Muitas pessoas já ouviram falar que o consumo de bebidas energéticas em excesso pode ser prejudicial. Entretanto, esse consumo excessivo poderia chegar ao extremo de levar ao óbito? 


Cápsulas de Lecitina de Soja: quais os benefícios alcançados pelo seu consumo?



A lecitina de soja é obtida da soja, sendo rica em ácidos graxos essenciais, como: ômega 3 e ômega 6 e outros nutrientes extremamente importantes para o bom funcionamento do nosso organismo, como fósforo, potássio e vitamina E. Esta composição contribui para sua durabilidade, uma vez que a vitamina E funciona como um antioxidante, protegendo as gorduras da decomposição.

Os principais benefícios relatados com o consumo são: redução do colesterol, regulação hormonal, diminuição da perda de memória e até mesmo emagrecimento. 

Portanto, será que o consumo dessas cápsulas oferecem esses benefícios?

Introdução
A lecitina é uma fosfatidilcolina poli-insaturada que contém componentes básicos para as funções energéticas e estruturais de todas as membranas biológicas. São indispensáveis para os mecanismos de diferenciação, proliferação e regeneração celular. A Lecitina pode ser extraída dos grãos de soja, sendo uma mistura complexa de fosfolipídeos, triglicerídeos e outras substâncias derivadas dos processos de refinamento o óleo (SEIDMAN et al., 2002). 

Os principais benefícios para a saúde relacionados com o consumo de Lecitina de soja são devidos à presença de colina, uma gordura importante para: regular a produção hormonal, aliviar os sintomas da menopausa, combater a dor de cabeça - por ser rica em ômega-3 e ômega-6, combater o colesterol alto - por estimular o metabolismo das gorduras, manter a saúde do fígado e evitar o acúmulo de gordura, melhorar a memória e estimular o cérebro - por conter colina, aumentar o metabolismo - auxiliando na perda de peso.

Fundamentos Bromatológicos
Dentro de uma grande variedade deste produto no mercado, foi utilizado como exemplo o Soya Lecithin 1200 mg da empresa Sundown, devido a facilidade de acesso do produto e o preço estar dentro da média do mercado.

Conforme a indicação do fabricante a ingestão deve ser de 1 cápsula por 3 ou 4 vezes ao dia nos horários das refeições, prometendo assim com essa ingestão uma melhor digestão das gorduras, devido ao seu poder de emulsificante, favorecendo então o controle dos níveis de colesterol, além disso fortalece órgãos como fígado, rins e pâncreas e promove a renovação celular da pele. Também auxilia no bom funcionamento e na proteção cerebral, devido à presença de colina, um nutriente que compõe o neurotransmissor acetilcolina. 

Como pode ser observado na Tabela de informação nutricional, o produto oferece um baixo teor calórico, tendo ausência de carboidratos e proteínas. 

Composição Soya Lecithin 1200mg (Lecitina de Soja) Sundown

 Legislação
Segundo a legislação brasileira a lecitina da soja se enquadra na classificação na categoria Nº 4300090, das Substâncias Bioativas e Probióticos Isolados com Alegação de Propriedades Funcional e/ou de Saúde, devendo cumprir na Íntegra com o estabelecido na Resolução RDC nº 02, de 7 de janeiro de 2002 (DOU 9/1/2002). Como complemento nutricional tem a finalidade de complementar a dieta cotidiana de uma pessoa saudável, que deseja compensar um possível déficit de nutrientes, a fim de alcançar os valores da Dose Diária Recomendada (DDR), em que o complemento nutricional não substitui o alimento. E ainda deverá ter a qualidade alimentar, sem aditivos e acondicionado em cápsulas compostas de gelatina e de glicerina. Poderá ser utilizado como ingrediente com finalidade de coadjuvante de tecnologia e fabricação, quando utilizada cápsula gelatinosa dura.

Quanto ao rótulo é proibida toda e qualquer expressão de natureza medicamentosa. Deve ser designado, portanto, que se trata de um complemento nutricional, especificando os nutrientes básicos ou de acordo com o Padrão de Identidade e Qualidade (PIQ) específico para o produto. Dever conter informações e advertências sobre os riscos do consumo excessivo, e que é preferível o consumo sob orientação profissional, deve-se sugerir a porção diária recomendada, já que esta não está definida cientificamente. Instruções de conservação, armazenamento e transporte. Os rótulos dos Complementos Nutricionais deverão ainda conter as seguintes declarações: "Este produto consumido acima da dose recomendada traz riscos á saúde" / "Este produto não deve ser consumido por gestantes, lactentes e crianças de 0(zero) a 3(três)anos". 

A partir da análise do rótulo do produto Soya Lecithin da Sundown as informações disponíveis no mesmo estão de acordo com o preconizado na legislação citada. Algumas informações não são fornecidas de forma tão clara, tanto no rótulo quanto no site de vendas. Mas em geral, o rótulo se encontra de acordo com as especificações determinadas pela ANVISA.

Referências Bibliográficas
Seidman MD, Khan MJ, Tang WX, Quirk WS. Influence of lecithin on mitochondrial DNA and age-related hearing loss. Otolaryngol Head Neck Surg. 2002 Sep;127(3):138-44.

Portaria nº 19, de 15 de março de 1995, DOU DE 16/03/95. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/legis/portarias/19_95.htm. Acesso 07 de Junho de 2017. 

Li XZ, Park BK, Hong BC, Ahn JS, Shin JS. Effect of soy lecithin on total cholesterol content, fatty acid composition and carcass characteristics in the Longissimus dorsi of Hanwoo steers (Korean native cattle). Anim Sci J. 2017 Jun;88(6):847-853. doi: 10.1111/asj.12660. Epub 2016 Oct 18.

Comissões Tecnocientíficas de Assessoramento em Alimentos Funcionais e Novos Alimentos. Atualizado em 20 de julho de 2004. Disponível em http://www.anvisa.gov.br/alimentos/comissoes/tecno_bk.htm . Acesso 07 de Junho de 2017. 

Livina fibras, poderia substituir fontes convencionais de fibras?

Introdução
LIVINA FIBRAS é um novo conceito em suplementação de fibras com intuito de regular o intestino. São fibras em gomas especialmente desenvolvidas como resposta à necessidade latente das pessoas em manter uma dieta equilibrada de fibras no dia a dia. LIVINA FIBRAS possui FOSFIBRA, uma combinação de frutoligossacarídeos e polidextrose.

Sucos Industrializados na Dieta

Os sucos industrializados não são boas escolhas quando inseridas na dieta de forma errada, visto que o consumo do mesmo não será de acordo com o descrito no rótulo, ou seja o consumo será maior e os valores nutricionais descritos serão maiores.

Água Tônica:sua composição e utilização.


Devido a presença da quinina a água tônica fica fluorescente se colocada sob luz ultravioleta, por ser um alcaloide de gosto amargo que tem funções antitérmicas, antimaláricas e analgésicas. É um estereoisômero da quinidina. A quinina, pó branco, inodoro e de sabor amargo. Além de ser um fármaco é utilizada como flavorizante da água tônica.
A característica de ser luminescente vem da estrutura que a quinina, como molécula mista, com a presença de anéis aromáticos, cíclicos e grupos doadores de elétrons, como o -OH, que intensificam o rendimento quântico do processo de absorção e emissão nesse composto.
Originalmente, esse produto era tratado como água medicinal, que continha apenas água com gás e muito quinino. Mas nos dias de hoje, a bebida contém uma pequena quantidade de quinino, já que é mais pelo sabor. Então ela é menos amarga e é geralmente adoçada usando xarope de milho ou açúcar. Água tônica diet pode conter adoçantes artificiais.
A água tônica diferente de que todos pensam ela é um refrigerante, porem de sabor amargo. Ela é composta por soda, açúcar e quinina. A quinina é um pó branco extraído da casca da árvore de cinchona (hidrocloreto de quinina) que dá o gosto amargo ao produto. E como o hidrocloreto de quinina é um sal isto é o que difere a água tônica dos refrigerantes. O quinino, que compõe o sal usado na bebida, é uma das substâncias ministradas no tratamento da malária, o que leva muita gente a acreditar que a tônica pode ser ingerida como remédio.
Para muitas pessoas, o gosto amargo da água tônica indica baixa concentração de açúcar, tornando-se uma opção para um paciente de diabetes. O que é grave, pois como qualquer outro refrigerante tradicional, a água tônica é rica em açúcar e, portanto, deve ter sua ingestão controlada se há restrição aos níveis de glicose no sangue, mesmo contendo o nome de água.
Tônico é diferente de isotônico, tônico é um refrigerante e isotônico significa uma bebida que contem sais na mesma concentração ou concentração semelhante à concentração dos sais nos líquidos ou fluidos do corpo humano.

Fundamentos bromatológicos

 É uma bebida que para algumas pessoas, acabam sendo um refúgio do refrigerante ou sucos industrializados devido ao seu alto teor de açúcar, visto que hoje em dia está água já possui sabores como por exemplo de limão.
Água tônica é um refrigerante que contém cerca de 10% de açúcar e até 85 mg.L–1 de quinina. O açúcar além da função de adoçar propicia corpo à bebida. Então mesmo que seja uma água tem o seu valor de açúcar alto.
Lembrando que a origem da agua tônica surgiu para que ela fosse uma espécie de medicamentos tanto para o tratamento de malária como para ajudar na hidratação do corpo, o que mais tarde foi descoberto que ela não tem efeito.
Na hidratação ela não surte nenhum efeito pois, como ela contém açúcar e sódio isso prejudica que a célula absorva água e os minerais necessário, a melhor opção e a água natural ou os isotônicos que ajudam o corpo na reposição de água e sais minerais.
Já no tratamento da malária também não é eficiente, porque, além de a quantidade de quinino na tônica ser pequena demais para ter propriedades farmacológicas, o refrigerante tem 5 miligramas por litro, enquanto no tratamento da malária usa-se 1,5 grama por dia e o quinino do remédio apresenta-se em uma composição diferente em sulfato ou cloridrato, enquanto na tônica sua composição é de hidrocloreto.

Discussão

Inicialmente, a quinina era adicionada como sendo um composto com efeitos benéficos contra a malária. Atualmente é utilizada apenas para conferir o gosto amargo, característica sensorial marcante deste produto. A água tônica é muito usada como uma bebida de mistura para coquetéis, especialmente os que são feitos com gim (por exemplo, gim-tônica).
A água tônica é rica em açúcar, um pouco menos que outros refrigerantes, devendo ser evitada por pacientes de diabetes, tendo cerca 9g de açúcar presente em 100 g. E como se trata de um “refrigerante” e contém uma grande concentração de açúcar se deve ter cuidado, principalmente pessoas diabetes, pois o uso diário permitido é de cerca de 25 g.
A ideia de que a água tônica cura a ressaca não passa de mito. A sensação de bem-estar que sentimos ao beber água tônica em uma situação como essa também é decorrente da reposição de açúcar no sangue, já que o excesso de álcool leva à hipoglicemia. Mas até isso é passageiro. O açúcar do refrigerante é rapidamente absorvido, o que provoca rapidamente outra queda da taxa de glicose no sangue.

As bebidas gaseificadas possuem fósforo na sua composição, competindo com o cálcio no corpo, reduzindo a absorção de cálcio pelos ossos. Então é uma péssima opção para se hidratar comparado com água natural pela quantidade de sódio e açúcar. 
   Tabela 1/ fonte: http://www.diabeticool.com/quantidades-de-acucar/, acessado 16/06/2017.

Conclusão

Dessa forma, conclui-se que a água tônica, tem que ter seu uso maneirado devido a quantidade de açúcar presente que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o uso diário de açúcar recomendado é de cerca de 25 g.
E sabe-se que ela já não é mais considerado medicamento para o tratamento da malária, devido a porcentagem presente de quinina.
   

Referências

http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=4783:oms-recomenda-que-os-paises-reduzam-o-consumo-de-acucar-entre-adultos-e-criancas&Itemid=821
http://quimiton.blogspot.com.br/2010/01/agua-tonica-e-o-quinino.html
http://www.scielo.br/pdf/%0D/cta/v23n3/18848.pdf
http://www.mundoboaforma.com.br/agua-tonica-engorda-dicas-e-analise/

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Suplementação de Ômega 3 em cápsulas: existem riscos associados ao seu consumo?


Figura 1. Imagem ilustrativa de cápsulas de Ômega 3.

O consumo de alimentos riscos em ômega 3 é essencial para a saúde, sendo associado à prevenção e tratamento de algumas doenças; com isso a busca pela suplementação de ômega 3 em cápsulas aumentou muito ao longo dos anos, inclusive devido à grande propaganda que se faz somente dos benefícios do uso desse suplemento. Porém, será que o consumo de cápsulas de ômega 3 é sempre indicado para combater doenças de qualquer pessoa, mesmo quando não há recomendação médica?

Corante natural vermelho carmim: uma alternativa segura?


Os consumidores estão mais críticos e procuram consumir produtos e aditivos de origem natural aos de origem sintética, que podem estar relacionados a malefícios à saúde. O corante natural vermelho carmim encontra-se em diversos alimentos substituindo corantes sintéticos vermelhos. Ele é uma alternativa isenta de riscos?